limeiranoticias.com.br

Rede municipal de saúde ganha mais sete salas de apoio à amamentação – Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro

março 26, 2024 | by limeiranoticias.com.br

Desde a inauguração das salas, as unidades já receberam, ao todo, 98 potes de leites que foram encaminhados para o banco de leite – Edu Kapps/SMS-Rio

Com o objetivo de ampliar a doação de leite materno e apoiar as mamães cariocas nesse momento delicado que é a amamentação, a Prefeitura do Rio inaugurou mais sete salas de apoio à amamentação, nas unidades de Atenção Primária da região central da cidade. Os espaços, além de serem locais de acolhimento e orientação, também funcionam como postos de recebimento de leite humano, que é distribuído para bancos de leite das maternidades municipais. As salas praticam o mesmo horário de funcionamento das unidades de saúde às quais estão ligadas, sem necessidade de agendamento prévio.

As salas de apoio funcionam para dar suporte e orientação sobre a amamentação e a importância do aleitamento materno, não só para a mamãe, mas também para a família que participa de toda a rede de apoio da lactante. Os postos de recebimento de leite têm como objetivo aumentar os estoques de leite humano ordenhado (LHO) destinados aos recém-nascidos de risco internados nas UTIs Neonatais das maternidades, facilitando o processo de doação realizada por mulheres assistidas pelas unidades da Atenção Primária. Desde a inauguração das salas, as unidades já receberam, ao todo, 98 potes de leites que foram encaminhados para o banco de leite.

– As salas de apoio à amamentação são importantes espaços para acolher a nutriz com o intuito de orientar o manejo da amamentação sobre pega e posição, intercorrências da mama, esclarecer dúvidas sobre amamentação e a introdução da alimentação complementar saudável – explicou a superintendente de Atenção Primária, Larissa Terrezo.

As novas salas de apoio à amamentação estão nos centros municipais de saúde Sales Neto, no Rio Comprido; Zeferino Tibau, em São Cristóvão; e José Messias do Carmo, no Santo Cristo; e nas clínicas da família São Sebastião, no Caju; Sérgio Vieira de Melo, no Catumbi; Medalhista Olímpico Maurício Silva, em Benfica; e Medalhista Olímpico Ricardo Lucarelli, na Cidade Nova.

As áreas destinadas ao acolhimento das mamães e seus filhos fazem parte da Iniciativa Unidade Básica Amiga da Amamentação (IUBAAM), que visa a promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno por meio da mobilização das unidades básicas de saúde. A IUBAAM projeta um importante papel de suporte  das unidades básicas de saúde, que em conjunto com os hospitais podem tornar o aleitamento materno e a introdução da alimentação complementar como práticas universais, contribuindo significativamente para a saúde e bem-estar dos bebês e suas mães.

Bárbara Quaresmas, de 32 anos, foi a primeira mulher a ser doadora de leite materno da Clínica da Família São Sebastião e a frequentar a sala de acolhimento.

– Eu produzo bastante leite e na minha primeira gestação eu acabava descartando o excedente no lixo. Quando trouxe meu filho para vacinar aqui na clínica, a técnica de enfermagem Cida me perguntou se eu queria virar doadora. Aceitei porque queria que meu leite fosse aproveitado por outra criança, e assim salvar vidas.

Durante a visita em uma das salas de apoio, o profissional de saúde passa as orientações de pega, posicionamento ao amamentar, de massagens e extração de leite para oferecer ao bebê, e sobre a composição do leite materno. As unidades oferecem todo o suporte necessário para a lactante, assim como todas as orientações para a coleta do leite em casa. Depois, um agente comunitário de saúde vai até a casa da doadora para buscar o pote de leite, que é estocado na unidade de saúde e, semanalmente, encaminhado em quantidade para os bancos de leite da rede municipal.

Pontos de recebimento de leite humano

Os pontos de recebimento de leite humano são uma estratégia da Secretaria Municipal de Saúde para ampliar a captação de doações de LHO, facilitando o acesso às lactantes que desejam se tornar doadoras. As unidades oferecem todo o suporte necessário para a mãe fazer a coleta do leite em casa, e um agente comunitário de saúde vai até a casa da doadora para buscar o frasco de leite. Há, em toda a cidade, 38 pontos de recebimento em unidades de Atenção Primária, que distribuem as doações semanalmente para os sete bancos de leite da rede municipal.

Os pontos, além de ampliar a doação e o acesso para as doadoras, são uma ação estratégica de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno. Na cidade do Rio, pontos de recebimento estão disponíveis em diversos bairros, como Realengo, Paciência, Jardim América, Maré, Botafogo e Gávea. Para encontrar onde doar e o banco de leite mais próximo do seu bairro, acesse o site.

Bancos de leite

O leite materno é um alimento completo e ideal, tem todos os nutrientes essenciais e adequados para o desenvolvimento saudável do bebê, dispensando o uso de água ou outros alimentos até os seis primeiros meses de vida. Para bebês internados em UTI neonatal e cujas mães, por algum motivo, não podem amamentá-los, a Secretaria Municipal de Saúde conta com bancos de leite humano nas maternidades municipais. O leite é doado por mães cadastradas e passa por todo um processo de preparação e controle de qualidade até ser distribuído.

No Rio, além dos postos de recebimento presentes nas unidades da Atenção Primária (centro municipais de saúde de clínicas da família), o leite humano também pode ser doado nas maternidades. Cada pote de 300 ml de leite pode ajudar até 10 recém-nascidos internados em UTI neonatal.

Mulheres que ainda amamentam e produzem uma quantidade excedente de leite podem ser doadoras. Basta ser saudável e não tomar nenhum remédio que prejudique o aleitamento. Os bancos também aceitam doação de potes de vidro com tampa plástica, para acondicionamento do leite.

Categoria:

  • 25 de março de 2024
  • Marcações: Amamentação doação leite materno Prefeitura do Rio salas de apoio saúde

    RELATED POSTS

    View all

    view all